O que é independência para mim?

freedom

Hoje, dia 07 de Setembro, é feriado nacional, onde comemora-se o dia da Independência do Brasil. Entretanto não vou falar sobre coisas legais de um feriado ou algo assim; resolvi falar hoje sobre o que significa independência para mim. Esse foi um dos temas do Rotaroots de Setembro do ano passado, que acabei não fazendo, mas achei tão interessante que guardei para um outro momento.

Quando era pequena, independência significava atravessar a rua sozinha. O ato de poder sair de casa, sem a supervisão de um adulto e ainda atravessar uma rua, era algo sensacional. Significava quebrar todas as barreiras da infância, cruzar a ponte e chegar a pré-adolescência com os dois pés bem firmes.

O conceito de independência foi crescendo e transformando-se: poder brincar na outra rua do condomínio, poder brincar na praça do condomínio e poder brincar no condomínio do outro lado da rua. Nota-se que esse era o ápice da minha independência infantil, juntar dois elementos de uma vez só: brincar em outro condomínio E atravessar a rua.

Eu me sentia poderosa e madura o suficiente para tomar minhas decisões (com quem iria brincar e onde). Então fui crescendo e passei a estudar numa escola longe ( o meu amado Colégio Pedro II) . Bem longe,  uma distancia superior a 20 km da minha casa. Assim fui descobrir uma outra forma de independência. Descobri o maravilhoso (só que não) mundo do transporte coletivo.  Antes ia e voltava para escola de transporte escolar , de repente comecei a pegar dois ónibus e demorando mais de uma hora até o colégio. Ser independente era poder andar de transporte público pelo Rio de Janeiro. Lá fui eu me aventurando por trens, ônibus e metro.

Nessa fase da adolescente, e acredito que graças ao Colégio Pedro II, descobri o significado que independência tem para mim: saber o que você quer.  No colégio conheci várias pessoas, cada uma de um jeito, cada uma com uma personalidade diferente, tive aula com professores super dedicados e apaixonados pela educação, outros mais diferentes, menos dedicados, mas todos contribuíram para minha concepção da palavra independência: você precisa ter algum objetivo na vida, nem que esse objetivo seja tornar-se presidente ou aguentar até o final daquele dia. Mas ele precisa estar claro na sua mente.

Claro que  todo mundo pensa independência associada a dinheiro, mas nada faz sentido sem um objetivo, mesmo quando você tem rios de dinheiro a sua disposição. E isso só depende de você. Saí de casa para morar em um república com mais 5 mulheres. Não tinha dinheiro ou qualquer fonte de renda, só tinha uma conta bancária zerada e uma caixa de compras do mercado. Minha mãe me dava dinheiro para tudo, até mesmo para comprar uma bala na esquina da faculdade e foi nesse período que me senti plenamente independente.

Eu sabia o que queria. Sabia o que queria e porque queria aquilo. Tinha total controle sobre os rumos do meu dia, apenas as minhas decisões influenciaria os resultados , mesmo que fosse uma decisão sobre marcas de sabão em pó  e os seus efeitos em minhas roupas.

Você pode ser independente morando com 10 pessoas, morando com seus pais ou morando sozinha em um apartamento de um cômodo com seu gato, desde que você saiba o porquê de tudo isso. Desde que esteja ali fazendo o que você quer e o que te faz feliz.

Post relacionados

Deixe uma resposta