Resenha #2 Americanah – Chimamanda Ngozi Adichie

american

Continuando com o objetivo de ler mais mulheres (que já falei aqui e aqui), no inicio do ano terminei esse livro que comecei no final de 2015. Americanah é um livro ótimo, mas com um inicio um pouco lento e cansativo. Isso me fez abandona-lo no meio de 2015, estava sempre muito ocupada e acabei trocando por uma leitura mais rápida.

Recomecei meu primeiro livro da Chimamanda quando entrei em férias e não larguei mais.

Na contra-capa do livro o definem como uma história de amor, mas dizer que ele é só uma história de amor é muito pouco. O livro é sobre pessoas, sobre racismo e preconceito, e sobre as dificuldades que os imigrantes vivem diariamente. Sobre saudade e sobre as decisões que tomamos.

A leitura é marcante, é envolvente, me fez chorar, me fez rir e me fez mergulhar na história tão diferente de cultura que a nossa. A África é muito mais do que a gente imagina daqui, o preconceito é muito mais forte e doloroso do que nós imaginamos. Ifemelu é muito mais real do que eu imaginava.

Americanah conta a história de Ifemelu, uma garota nascida na Nigéria que se muda para os Estados Unidos quando está na faculdade e se vê rodeada de novas pessoas, novos amores, dificuldade de encontrar emprego, estudar, e acima de tudo, se encontrar.

Americanah Praia

Na maior parte do tempo ela se sente solitária – com um turbilhão de pensamentos, o que ajuda fortemente para que ela crie um blog onde fala sobre questões raciais e suas próprias observações de ‘’um negro não Americano’’ que acaba ganhando milhares de seguidores. Alguns posts de seu blog surgem na narrativa do livro e nos faz refletir aspectos.

Não conseguiam entender por que pessoas como ele, criadas com todo o necessário para satisfazer suas necessidades básicas, mas chafurdando na insatisfação, condicionadas desde o nascimento a olhar para outro lugar, eternamente convencidas de que a vida real acontecia nesse outro lugar, agora estavam resolvidas a fazer coisas perigosas, ilegais, para poder ir embora, sem estar passando fome, ter sido estupradas nem estar fugindo de aldeias em chamas. Apenas famintas por escolha e certeza.

Ifemleu é gente como a gente, uma mulher de personalidade forte, marcante, feminista e humana. Gente como a gente! Que erra, que xinga, que faz cagadas e a gente sente vontade de dar uns tapas, de acolher, de comer brigadeiro, sair pra tomar uma cerveja. Uma pessoa singular.

Eu queria mais. Mais de Americanah, mais de Ifemelu.

Post relacionados

5 Comment

  1. Aaai, amei a resenha!!! Eu queria muito ler este livro, ele é tão diferente pelo que vi por aí… Amei a história, a proposta e o fato dela ser gente como nós!! Cansei de mocinhas perfeitas, quero alguém que me represente!

    1. Se você começar a ler, não desiste no começo porque vale muito a pena!
      Obrigada pela visita!
      Beijos

  2. Não conhecia a obra e o trecho que você escolheu já me fez ter vontade de lê-la. Infelizmente, muita gente cria na mente problemas que nem tem, enquanto outras precisam viver tentando encontrar uma coisa boa em meio a tanto caos. Obrigada pela sugestão de leitura! Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    1. Vale a pena ler! Também recomendo os outros livros da autora que sempre mostram uma realidade bem diferente e a presença de personagens fortes!
      Beijos e obrigada pela visita!

  3. Tem obras que valem a pena continuar, ou retomar a leitura, mesmo que o começo seja lento. Gosto de histórias com personagens forte e humanos, que são imperfeitos. Além disso gostei bastante do tema, acho que abordar a questão do preconceito é importante, acho que isso leva a boas discussões. Beijos!

Deixe uma resposta